Contramarés e ventos: “COMANDANTE” CANDÉ LEVA A GUINÉ-BISSSAU A CAN’2019 NO EGIPTO

A seleção nacional de futebol “DJURTOS” qualificou-se na tarde deste sábado, 23 de março de 2019, para o Campeonato de África das Nações (CAN) pela segunda vez consecutiva ao empatar com a sua congénere de Moçambique, por duas bolas [2-2].


A partida disputada no mítico Estádio Nacional 24 de setembro para assinalar a sexta jornada do jogo de qualificação do grupo k colocou a Guiné-Bissau com nove pontos, seguida por Namíbia com oito pontos, os mesmos de Moçambique. A Namíbia, apesar da derrota frente à  Zâmbia por quatro bolas a uma, qualificou-se para o CAN.


O jogo assistido por milhares de guineenses nas bancadas com destaque para o Primeiro-ministro, Aristides Gomes, por líderes políticos e  dirigentes da Federação de Futebol guineense. 
Nos primeiros minutos as duas equipas proporcionaram um futebol de qualidade, mas a equipa de casa estava de vantagem. No minuto 11 do jogo, a camisola 18 da Guiné-Bissau, Piqueti Djassi, balançou as malhas dos moçambicanos, através do cruzamento de Frederic Mendy no lado direito.
A partir desse golo, os moçambicanos tentaram reagir no sentido de empatar o jogo, mas os comandados do Baciro Candé não aceitaram e a primeira parte terminou com a vantagem dos Djurtus. 

Logo na segunda parte do jogo no minuto 47, a camisa 44 do Moçambique Stanley, empatou o jogo, em lance de contra-ataque.No minuto 51, juiz de partida atribui cartolina amarela ao Piquete Djassi, devido uma entrada dura para camisa 2 do Mambas. 

No minuto 65 Tony Sá Brito, desperdiçou grande oportunidade de golo, fazendo cara a cara com guarda-redes de Moçambique.No minuto 70, a equipa moçambicana, levou em vantagem em termos de posse de bola, fruto desta jogada, camisa 19, Witines, marcou segundo golo da sua equipa, vencendo por duas bolas a uma. O público espectador não se conformou nas bancadas.

Frederick Mendes, o carrasco de Moçambique, voltou a fazer a história, no minuto 90, ao marcar o golo de empate, causando lágrimas junto de atletas moçambicanos no relvado. 

Ainda, camisa 17, João Mário da Guiné-Bissau, voltou a marcar um golo no minuto de desconto, mas o árbitro do jogo o invalidou, ao assinalar fora do jogo.

Por: Aguinaldo Ampa
O Democrata
Partilhe no Google Plus

0 comentários:

Publicar um comentário