BACIRO CANDÉ CONSIDERA DE POSITIVA A PARTICIPAÇÃO DOS DJURTUS NO CAN 2017

O seleccionador nacional Baciro Candé, considerou ontem em Bissau de positivo a participação da seleção nacional de futebol no campeonato africano das Nações 2017 a decorrer no Gabão onde os Djurtus foram afastados logo na primeira fase.

Baciro Candé falava numa conferência de imprensa para balancear a primeira participação da seleção nacional numa fase final do Campeonato africano das Nações.

"Na minha opinião o balanço foi positivo em todo sentido de palavra, seja no aspecto técnico ou táctico, em termos de entrega total e em termos de performance dos jogadores, penso que desde o primeiro jogo até o último jogo todos os critérios que nós utilizamos foram critérios que viram em conformidade com a decisão do departamento técnico e eu como treinador principal e meus adjuntos, discutíamos até chegar a um consenso, penso que todas as decisões que tomamos seja nos primeiros onzes como nas substituições, são coisas planificadas e rigorosamente penso que não houve nenhum tipo de amiguismo porque todos nós que lá estivemos, queríamos um único resultado que era ganhar o jogo por isso não há nenhum treinador que deixa um jogador no banco só porque quer o deixar, não...nós queremos ganhar e temos que utilizar os melhores que apresentam melhores condições físicas ou técnicas para puderem responder nas quatro linhas" considerou Candé.

Questionado sobre algum desentendimento entre ele o  Capitão Bocundji Cá que ficou no banco de suplentes em todos os 3 jogos, Baciro Candé afirmou que não existe nenhum desentendimento entre ele com este jogador salientando que o Bocundji Cá continua a ser o jogador da seleção nacional e capitão da equipa nacional até no momento que saíram do Gabão. O técnico nacional referiu ainda que Bocundji esteve presente em todos os jogos da Guiné-Bissau e em termos de opções e decisões cabe a equipa técnica e a ele enquanto responsável, e decidiram deixá-lo no banco porque optaram para melhores jogadores na altura, segundo o Mister, Bocundji Cá não estava em devidas condições  para ir responder e optaram para os outros jogadores para o bem do país. 

O selecionador nacional considerou ainda que o balneário está sã e que não existe nenhum tipo de divergência.

"Acho que no futebol não existe novo jogador, no futebol é quem tem melhor performance ou seja no aspecto físico ou técnico". Respondeu Baciro Candé quando questionado sobre os jogadores que habitualmente alinhavam no onze inicial mas que ficaram no banco de suplentes de detrimento dos novos que recentemente integraram a seleção. 

"Para mim sempre está bem, falamos capiatão ao treinador e não há nenhum problema, conversamos sempre e da minha parte não há nenhum tipo de problema" respondeu Candé sobre a sua relação com o capitão Bocundji Cá.
in Sou Djurtu

Partilhe no Google Plus